Lusófona: “Empreendedorismo para Desempregados” – Medidas de Apoio: IEFP e CASES 25 de Outubro 2016 – 15 Horas – Auditório Armando Guebuza

PAECPE – Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (IEFP)

Desde 2011 que o Grupo Lusófona, através da COFAC, CRL – Cooperativa
de Formação e Animação Cultural, foi credenciado como Entidade
Prestadora de Apoio Técnico (EPAT), no âmbito do PAECPE – Programa de
Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego.

MEDIDAS DE APOIO

1 – APOIO À CRIAÇÃO DE EMPRESAS

Atribuição
de apoios a projetos de criação de empresas de pequena dimensão com
fins lucrativos, incluindo cooperativas, através do acesso a linhas de
crédito com garantia e bonificação da taxa de juro concedido por
instituições bancárias. 
Destinatários:
     Desempregados
inscritos há 9 meses ou menos nos Centros de Emprego, em situação de
desemprego involuntário ou inscritos há mais de 9 meses,
independentemente do motivo da inscrição;
     Jovens
à procura do primeiro emprego com idade entre os 18 e os 35 anos,
inclusive, com o mínimo do ensino secundário completo ou nível 3 de
qualificação ou a frequentar um processo de qualificação conducente à
obtenção desse nível de ensino ou qualificação, e que não tenha tido
contrato de trabalho sem termo;
     Quem nunca tenha exercido atividade profissional por conta de outrem ou por conta própria;
     Trabalhadores
independentes cujo rendimento médio mensal, no último ano de atividade,
seja inferior à retribuição mínima mensal garantida.
 Apoio:
Duas linhas de crédito ao investimento com benefícios no quadro de garantia mútua e bonificação na taxa de juro.
     MICROINVEST – até 20 mil euros
     INVEST+ – até 100 mil euros
2 – PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO
Apoio
a projetos de criação de empresas promovidos por pessoas que tenham
especiais dificuldades de acesso ao mercado de trabalho, através do
acesso a crédito para projetos com investimento e financiamento de
pequeno montante.
Esta
medida é desenvolvida em parceria com a Cooperativa António Sérgio para
a Economia Social (CASES) e dá prioridade a casos em que o beneficiário
ou o contratado tenha idade compreendida entre os 16 e os 34 anos e
seja desempregado inscrito no serviço de emprego há pelo menos 4 meses.
Destinatários:
     Pessoas
com perfil empreendedor que tenham especiais dificuldades de acesso ao
mercado de trabalho e estejam em risco de exclusão social e que
apresentem projetos viáveis para criar postos de trabalho;
     Microentidades
e cooperativas até 10 trabalhadores que apresentem projetos viáveis com
criação líquida de postos de trabalho, em especial na área da economia
social.
3 – APOIO À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO POR BENEFICIÁRIOS DE SUBSÍDIO
Atribuição
de apoios a projetos de emprego promovidos por beneficiários das
prestações de desemprego, através da antecipação das prestações de
desemprego – subsídio de desemprego ou ao subsídio social de desemprego
inicial, desde que os mesmos assegurem o emprego, a tempo inteiro, dos
promotores subsidiados.
Destinatários:
     Pelo menos 18 anos de idade à data da candidatura;
     Não podem acumular esta atividade com qualquer outra atividade remunerada.
Regras:
     O
montante das prestações de desemprego pode ser aplicado na aquisição de
estabelecimento por cessão ou na aquisição de capital social de empresa
que origine, pelo menos, a criação de emprego, a tempo inteiro, de si
próprio;
     O
montante das prestações de desemprego só pode financiar o aumento de
capital social, não podendo financiar a aquisição de partes sociais
existentes;
     O projeto será avaliado pela sua viabilidade económico-financeira.

 _____________________________

INFORMAÇÃO ADIDIONAL:

A Portaria n.º 985/2009, de 4 de Setembro, criou o Programa de Apoio
ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE), no âmbito
do qual se prevê, como modalidade de apoio, o Apoio Técnico à Criação e
Consolidação de Projetos (ATCP).

Com a criação da Portaria n.º 157/2015, de 28 de Maio a COFAC, CRL.
foi novamente credenciada para o novo modelo de apoio técnico enquanto
EPAT, cuja cerimónia de assinatura do Protocolo de Cooperação foi
realizada no dia 22 de Julho de 2015, em Santarém.

Os projetos que obtêm financiamento nos termos do PAECPE beneficiam
do ATCP, assegurado por uma rede de entidades privadas sem fins
lucrativos ou autarquias locais que disponham de serviços de apoio ao
empreendedorismo, para o efeito, credenciadas pelo Instituto do Emprego e
Formação Profissional, I. P. (IEFP) como entidades prestadoras de apoio
técnico.

O Apoio Técnico compreende as seguintes modalidades:

 – Apoio técnico prévio à aprovação do apoio, com vista ao
desenvolvimento de competências e à criação e estruturação do projeto,
nomeadamente no que concerne à conceção e elaboração de planos de
investimento e de negócio;

 –  Apoio técnico nos dois primeiros anos de atividade da empresa,
para consolidação do projeto, abrangendo, nomeadamente, as seguintes
atividades:

i. Acompanhamento do projeto aprovado;

ii. Consultoria em aspetos de maior fragilidade na gestão ou na
operacionalidade da iniciativa, diagnosticada durante o acompanhamento.

A DRIE – Direção de Relações Internacionais, Estágios,
Emprego e Empreendedorismo, através do Serviço do Projeto Empreendedor
está a operacionalizar o Apoio Técnico gratuito do  Programa 

Para mais informações, por favor contacte:
cristina.matos@ulusofona.pt

Telefone: 217515565/ 217515500- Ext. 2113

Consulte o site do IEFP

http://ift.tt/1zyf5ep

Inscrições:

http://ift.tt/2eNgpru

Source:  http://ift.tt/2ehi31M

via Blogger http://ift.tt/2eNbVB0

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s